sexta-feira, setembro 20

Insulina inalável deve estar disponível no 2º semestre

insulina inalável

Já imaginou inalar insulina, em vez de injetar? Alguns diabéticos vão poder fazer isso a partir do segundo semestre. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou a comercialização no Brasil do Afrezza, que é um pó para inalação.

É um medicamento de ação rápida para ser usado antes das refeições. O objetivo é melhorar o controle glicêmico em pacientes adultos com diabetes tipos 1 e 2. Essa insulina inalável já está em uso nos Estados Unidos, desde 2015.

De acordo com o laboratório responsável, o medicamento deve começar a ser vendido no Brasil até o mês de outubro. O preço da insulina inalável ainda aguarda definição do órgão responsável, mas, em sites dos Estados Unidos, o preço da caixa varia de US$ 150 a US$1.180, dependendo da quantidade.

Essa nova insulina é comercializada em pó, em cartuchos com três tipos de dosagem. A utilização será feita pelo paciente com diabetes por meio de um inalador que, de acordo com o fabricante, é pequeno, discreto e fácil de usar. Nele é encaixado um cartucho para que o pó seja aspirado. A substância é levada rapidamente ao pulmão e absorvida pela corrente sanguínea, para reduzir os níveis de glicemia.

Os níveis máximos de insulina são alcançados entre 12 e 15 minutos após a administração e começam a reduzir em aproximadamente três horas.

Evolução

Ao longo dos anos, as formulações de insulina evoluíram, mas o método de administração permaneceu inalterado. O paciente, até então, administra suas doses de forma subcutânea, por meio de bombas ou agulhas, conforme indicação do médico.

Já a insulina inalável é uma forma de tratamento com tecnologia avançada. Tem um perfil de ação único e muito mais rápido do que a insulina administrada de forma subcutânea. Mesmo a mais rápida das insulinas começa a agir, até ser absorvida pela pele, dentro de meia hora ou 40 minutos, e seu efeito tem duração de quatro ou cinco horas. A insulina inalável é absorvida rapidamente pela corrente sanguínea e começa a agir em dez minutos, com pico de ação em 15 minutos, e um efeito que dura de duas a três horas.

Há, porém, algumas contraindicações: pacientes com problemas pulmonares, pacientes com asma, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e fibrose pulmonar, além de fumantes, não podem utilizar a insulina. A absorção pelo pulmão nesses pacientes pode não ser a adequada e a utilização da insulina pode deflagrar crises de asma. O uso também não é recomendado para menores de 18 anos, já que o produto não foi estudado em pacientes desta faixa etária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *