terça-feira, dezembro 10

Confirmada morte de Gugu Liberato

Gugu jornaldomingo.com.br

Foi confirmada na noite desta sexta-feira, 22, a morte do apresentador Gugu Liberato, de 60 anos. O apresentador sofreu um acidente doméstico em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos, na noite de quarta-feira (20).  Ele teria caído de uma altura de quatro metros. Na queda, batido com a cabeça na quina de um móvel. Foi hospitalizado às pressas com traumatismo craniano, mas não resistiu.

Alguns veículos chegaram a divulgar a morte de Gugu Liberato na quinta-feira, 21, mas a assessoria do apresentador  emitiu comunicado afirmando que ele estava na “UTI e vivo, sendo acompanhado pela equipe médica local e que havia confiança em sua recuperação”. Porém, desde a divulgação da hospitalização de Gugu, na Internet várias fontes não oficiais já falavam em “quadro irreversível” e “morte cerebral”.

A família dele viajou com urgência para Orlando tão logo soube do episódio envolvendo Gugu, tendo chegado lá por volta de 19h30 de quinta-feira, 21.

Gugu era casado com a médica Rose Miriam di Matteo  e deixa três filhos com ela: João Augusto, de 17 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15 anos.

Relembre a trajetória de Gugu

Gugu jornaldomingo.com.br

Antônio Augusto Moraes Liberato nasceu em 10 de abril de 1959, em São Paulo. Filho de portugueses, escrevia cartas para Silvio Santos sugerindo programas, até que o dono do SBT o contratou como assistente de produção do programa que apresentava, o “Domingo no Parque”. Na época, Gugu tinha apenas 14 anos.

O primeiro programa que apresentou foi o “Sessão Premiada” paulista, em 1981. Porém, foi com o “Viva Noite”, de 1982, que ele obteve mais destaque . Na atração foram lançados grupos musicais como Dominó e Polegar, inspirados pela “febre” Menudo, e Gugu se tornou, também, um empresário de sucesso, com a produtora GGP, responsável pela gravação de comerciais, programas e séries.

Em 1987, no auge do “Viva Noite”, Gugu assinou contrato com a Rede Globo. Contudo, no sábado de Carnaval de 1988, Silvio Santos foi pessoalmente à sala de Roberto Marinho pedir a liberação do apresentador, para que o mesmo permanecesse no SBT. Silvio fez, então, uma proposta tentadora a Gugu e lhe ofereceu parte da programação de domingo.

De volta ao SBT, Liberato comandou quadros dominicais como o famoso “Passa ou Repassa” e “Cidade contra Cidade”, além de dividir com Silvio a apresentação do “Roletrando”. Mas foi com o “Domingo Legal” que o maior sucesso veio, disputando o horário com o Domingão do Faustão, da Globo. No fim dos anos 1990, a atração tinha picos acima dos 40 pontos de audiência.

Embora tenha passado a maior parte da vida no SBT, o apresentador estava nos últimos anos vinculado à Record TV, à frente do Programa “Gugu”, e depois do reality show “Power Couple Brasil” e do talent show “Canta Comigo”.

OUTROS TRABALHOS

Além da TV aberta, Gugu atuou no cinema, ao lado das apresentadoras infantis Xuxa Meneghel e Angélica e do grupo Os Trapalhões. Ele também se arriscou na música, gravando LPs e CDs, incluindo um álbum de estúdio chamado “Gugu Para Crianças”, premiado com “disco de ouro” por ter vendido mais de 100 mil cópias no Brasil.

Gugu ainda lançou duas séries de revistas em quadrinhos, sendo a última leva entre 1988 e 1990, com 20 gibis e quatro almanaques.

PRÊMIOS

Considerado um dos apresentadores mais consagrados da história da televisão brasileira, Gugu Liberato recebeu 11 estatuetas do Troféu Imprensa, incluindo “revelação” de 1982, “animador” de 1995 a 2000 e 2002, “programa de auditório” de 2008 e “programa sertanejo” de 1991 e 1992. Venceu também o Troféu Internet de programa de auditório em 2005.

Eliana Silva

Jornalista Responsável em Jornal Domingo
Formada em Jornalismo pela Univás (Universidade do Vale do Sapucaí) e pós-graduada em Gestão da Comunicação Empresarial pela FAI (Centro Superior em Gestão, Tecnologia e Educação).
Eliana Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *