segunda-feira, outubro 21

Pouso Alegre: 280 mil habitantes daqui 20 anos

Pouso Alegre jornaldomingo.com.br
A evolução de empregos formais em Pouso Alegre continua revelando números positivos e convincentes. O levantamento do final de agosto do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), órgão de pesquisa do Ministério da Economia, aponta resultados animadores para os principais setores – produtivo, industrial e de serviços. Os números chegam mesmo a impactar a elaboração do Plano Diretor do Município.
No comparativo de agosto/2019, Pouso Alegre continua na frente entre as cidades do Sul de Minas com população acima de 30 mil habitantes. O mês registrou o saldo positivo de 369 contratações, decorrente do total de 1.905 admissões contra 1.536 desligamentos. Esses números elevam os resultados do ano para 14.864 vagas preenchidas frente a 12.844 dispensas, resultando em 2.020 novos contratos formais de janeiro a agosto de 2019. Também a evolução dos últimos 12 meses pula para o saldo positivo de 2.176 empregos.
A revelação desses números acima da média da região, do estado e mesmo do país, evidencia um crescimento populacional de Pouso Alegre superior às previsões mais otimistas. A ponto de impactar a projeção populacional, com reflexos na reformulação do Plano Diretor do Município, que está sendo elaborado com apoio da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).
Técnicos que trabalham na elaboração do Plano com a projeção aritmética que propõe uma população de 210 mil habitantes em Pouso Alegre, para daqui a 20 anos (2040), reconsideraram os dados. Ainda de acordo com métodos matemáticos, outra projeção, a geométrica, eleva o número de habitantes para 280 mil, considerando a evolução de empregos em comparação com o número de habitantes.
As últimas estatísticas revelam números cada vez mais expressivos quando abordam o quadro de contratações. Exemplo disso foi o mês de junho/19, quando a soma do saldo positivo apontou que o município havia recuperado as vagas perdidas durante a crise econômica (2015-2016), quando naqueles dois anos foram fechadas quase quatro mil vagas.
Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Dino Francescato, a ampliação das empresas em atividades e as novas que passam a integrar o parque industrial, bem como o segmento de serviços, puxado pelo comércio, são corresponsáveis por grande parte desses números e se destacam como fonte de geração de empregos, mantendo Pouso Alegre nesta posição privilegiada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *