sábado, agosto 24

Motoristas relatam problemas no serviço de Zona Azul em PA

Zona Azul jornaldomingo.com.br

Motoristas que usam estacionamento Zona Azul em Pouso Alegre têm reclamado de alguns problemas no serviço. Um deles é a dificuldade em comprar no comércio os bilhetes que permitem a utilização das vagas. Na opinião dos motoristas ouvidos pelo Jornal Domingo faltam pontos de venda.

“São poucos os lugares que vendem o bilhete. Deveria ter mais pontos de venda, principalmente nas ruas mais distantes das avenidas principais”, opina o motorista carreteiro Eder Henrique da Silva.

Outro problema na hora de comprar é a falta de troco no comércio. Muitos estabelecimentos alegam não terem troco, o que acaba forçando o interessado em adquirir o bilhete a sair pela rua para tentar trocar o dinheiro.

“Por diversas vezes os comerciantes não tem troco, o que torna difícil fazer a compra do bilhete. Deveria ter pontos específicos com obrigatoriedade de atendimento para o usuário”, diz.

Os mesmos problemas são relatados pela esteticista Elisângela Paula. Segundo ela, o atendimento nos estabelecimentos geralmente é ruim. Além dos poucos pontos de venda e da falta de troco, ela conta que acontece de o atendente do comércio informar que o sistema está fora do ar, sem contar as vezes em que o comprovante de compra do bilhete não pode ser impresso.

“Muitos pontos de venda não imprimem comprovante, o que acho ruim para se provar o pagamento em caso de algum problema e também para poder ter em mãos o comprovante para conferir o horário limite do estacionamento”.

Como não possui plano de internet para usar o aplicativo disponibilizado pela empresa que gerencia a Zona Azul, Elisângela Paula opta somente pelos pontos de venda. Uma realidade vivida não só por ela, mas por várias outras pessoas.

“Como não tenho plano de internet no celular, eu teria que gastar com internet só para acessar o aplicativo. Seria um gasto a mais e talvez para nada, já que amigos próximos me relataram que o aplicativo fica muito fora do ar. Acho válido ter Zona Azul na cidade, mas desde que seja algo organizado para facilitar a vida da população e não para ser mais um transtorno, já que temos tanto estresse no dia-a-dia”, desabafa.

A auxiliar contábil Beatriz Caproni Caixeta é uma das que reclama do funcionamento do aplicativo. “Achei que não resolveu ter aplicativo. Usei duas vezes, mas em uma a compra não foi computada”, informa. Ela também destaca o mau atendimento em alguns pontos de venda.

“Fui comprar uma hora de estacionamento numa loja da Rua Comendador José Garcia e a pessoa alegou que estava sem sistema. Mas fiquei com a impressão de que ela não queria era vender, pois ficou arrumando as roupas da loja e nem se virou para falar comigo. Para confirmar, saí da loja, liguei no número da Zona Azul e a atendente respondeu que o sistema estava funcionando e que era para eu procurar outro lugar para comprar. Então eu saí e fui comprar em outro lugar para não levar a multa, pois já tinha sido notificada”.

Na opinião dos motoristas ouvidos pelo Jornal Domingo faltam pontos de venda.
Na opinião dos motoristas ouvidos pelo Jornal Domingo faltam pontos de venda.

O que diz a empresa

Procurado pela reportagem do Jornal Domingo, Túlio Martins de Almeida, diretor Técnico da Dinâmica Administração e Representação Ltda, que gerencia a Zona Azul em Pouso Alegre, não considera que sejam poucos os pontos de venda.

Ele informa que há 50 pontos de venda ativos na cidade e que levando em consideração que são 1.000 vagas de estacionamento, proporcionalmente são 20 vagas para cada ponto de venda – “o que é considerada uma taxa ótima”, segundo ele.

Mas diz que a empresa tem tentado ampliar os pontos de venda na cidade. “Sempre que recebemos uma solicitação promovemos uma análise para a aprovação. Inclusive já estamos analisando alguns pedidos que, se estiverem aptos, em breve estarão operando”.

Sobre a falta de troco nos pontos de venda e falta de impressão do comprovante o diretor diz não ter conhecimento. “A partir do momento que o estabelecimento se propõe a ser um ponto de venda ele tem consciência do produto a ser comercializado”, defende.

Quanto às reclamações dos motoristas referentes a sistema fora do ar e não funcionamento do aplicativo, o diretor nega que isso ocorra. “Não é fato, pois sempre que preciso utilizo o App em Pouso Alegre e isso nunca aconteceu”, finaliza.

Eliana Silva

Jornalista Responsável em Jornal Domingo
Formada em Jornalismo pela Univás (Universidade do Vale do Sapucaí) e pós-graduada em Gestão da Comunicação Empresarial pela FAI (Centro Superior em Gestão, Tecnologia e Educação).
Eliana Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *