sábado, agosto 24

Requalificação do centro de Pouso Alegre será discutida hoje em audiência pública

Elaborada pela Unifei (Universidade Federal de Itajubá), a análise que será mostrada durante a audiência pública fundamenta a importância de tornar o centro de Pouso Alegre mais atrativo, sobretudo a pedestres e visitantes, além de concretizar um plano de mobilidade urbana.

Pouso Alegre jornaldomingo.com.br

Nesta quinta-feira, 01, às 17h30, na sede da Acipa (Associação do Comércio e Indústria de Pouso Alegre), a Prefeitura realiza audiência pública para apresentar o ante-projeto de requalificação da área central de Pouso Alegre.

Elaborada pela Unifei (Universidade Federal de Itajubá), a análise que será mostrada durante a audiência pública fundamenta a importância de tornar o centro de Pouso Alegre mais atrativo, sobretudo a pedestres e visitantes, além de concretizar um plano de mobilidade urbana.

Segundo o superintendente de projetos da Prefeitura de Pouso Alegre, José Carlos Costa, durante décadas a área central da cidade – que compreende a Praça Senador Eduardo Amaral, Avenida Dr. Lisboa e ruas adjacentes, Praça Senador José Bento e Avenida Duque de Caxias – permaneceu estagnada. “O que se busca com esse projeto é deixar a cidade mais receptiva àqueles que utilizam o centro para trabalhar, fazer compras ou como visitantes”, afirma.

Entre os problemas apontados pela Unifei e decorrentes da estagnação da região central estão o desgaste da pavimentação, falta de padronização dos passeios e calçadas estreitas, o que dificulta a circulação de pedestres e o livre acesso aos estabelecimentos comerciais.

José Carlos destaca também estudos que antecipam a saturação do trânsito de veículos (motos e carros) em poucos anos. “A evolução da frota de veículos em Pouso Alegre, segundo dados do IBGE, mostra que em pouco mais de dez anos saltamos de 47 mil para quase 85 mil carros e até 2025, pelas projeções, chegaremos a mais de 107 mil. É um dado relevante e alarmante e vai comprometer a mobilidade urbana e o centro, principalmente, ficará intransitável, se nada for feito o quanto antes”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *