quinta-feira, julho 18

Bate papo com César Cielo, em Santa Rita, é sucesso!

FAI-Cesar-Cielo-FAITEC

“Isso daqui é pão cheio (sem pensar muito, ele colocou na boca) é o prato típico de Santa Rita”, fez expressão de arrependimento e de ter se lembrado de alguma coisa, mas logo arregalou seus olhos surpreso: havia sentido o gosto do pão cheio. Então mastigou aquele pequeno pedaço vagarosamente, como que se atentando ao gosto. Levantou a mão instintivamente para pegar mais um, mas logo a abaixou, em tom penoso. Passou o resto do tempo no camarim ao salgado, indo e voltando seus olhos sobre ele entre conversas, mas suas mãos de nadador não ousaram se levantar novamente.

Todos podemos imaginar o quanto um atleta se sacrifica em busca dos seus objetivos. De uma forma muito didática e eficiente, o nadador olímpico César Cielo subiu no palco de Santa Rita do Sapucaí para passar valiosos ensinamentos para alunos e professores da FAI, assim como o público em geral.

A noite memorável, pode ser utilizada por todos que buscam melhorar em suas áreas de atuação e atingir seus objetivos. O estudante de Engenharia de Produção, Mateus Meirelles, fez questão de anotar em seu celular a pergunta que Cielo jogou para a plateia “De 0 a 10, qual o seu nível de presença agora?”. E o aluno completou nas suas anotações “Usar quando eu dispersar durante algo que deveria estar focado. Lembrar de focar, viver e dar o melhor de mim no presente”.

O trecho foi retirado na parte do bate papo em que o atleta foi questionado do que porquê do seu famoso ritual de se dar tapas antes de entrar na piscina.  Segundo o nadador, há vários motivos para isso. Primeiro, porque a cada vez que pensava uma besteira que o atrapalha do tipo “olha o tamanho dos competidores”, “o Brasil inteiro está me assistindo” “se perder hoje, vou perder a chance o título”. No momento em que 50 m² de agua o separam do título, Cielo conta que todo pensamento que não é “nadar muito rápido” pode influenciar nos centésimos de segundos que fazem um atleta de alta performance ganhar ou perder a competição. Sendo assim, os tapas são uma forma de afastar esses pensamentos e, ao mesmo tempo, o despertar para o que está acontecendo, para a realidade, para o presente.

Após uma hora de palestra e meia hora de generosamente ser fotografado com centenas de pessoas do público, aquela figura loira de 1,95m trocou um dedo de proza com os professores e funcionários, se despedindo ternamente. Da porta, lançou então um último olhar para o pão cheio santa-ritense e partiu, deixando o ambiente repleto de sorrisos de admiração. Esse é César Cielo, nadador com 2 recordes mundiais, 1 recorde olímpico e 21 Sul-Americanos e Brasileiros.

Texto e foto: Ascom FAI 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *