terça-feira, dezembro 10

Black Friday: em MG faturamento deve ultrapassar R$320 milhões

Na Black Friday, preste atenção nos seus direitos como consumidor!

Black-Friday jornaldomingo.com.br

Chegou o dia mais esperado do mês de novembro: a Black Friday. O faturamento da região Sudeste durante o período da Black Friday deve chegar a quase R$1,9 bilhão este ano — 59% do faturamento total nacional. Em Minas Gerais a movimentação deve passar dos 10% do faturamento total nacional.

A Black Friday já se consolidou como o dia mais importante para o comércio eletrônico nacional e tem a expectativa de superar os R$3,15 bilhões no Brasil, com uma movimentação recorde em 2019. Esse faturamento significa um aumento de 21% em comparação com o ano passado, segundo estimativa de dados gerados a partir do histórico das edições anteriores e com base no tráfego do site oficial do evento: www.blackfriday.com.br.

A região sudeste continua sendo a responsável pelo maior faturamento em números absolutos da Black Friday, com 59% do total do evento. Seguida por Sul (16%), Nordeste (14%), Centro Oeste (8%), e Norte (3%).

“A Black Friday vem batendo recordes de faturamento todos os anos, desde quando lançamos o evento no Brasil. Depois de um crescimento mais moderado nos anos do ápice da crise, hoje, ainda que a economia não esteja totalmente recuperada e com turbulências políticas, há uma maior confiança para gastar, inclusive aproveitando-se de compras represadas nesses períodos ”, explica Ricardo Bove, idealizador do Black Friday.
Apesar de ser adotada há cerca de 10 anos nop Brasil, a Black Fraiday já era tradicional em outros países, como no caso dos Estados Unidos. A Black Friday surgiu pela necessidade de desenvolver o comércio diante de crises econômicas, criando promoções e, consequentemente, aumentando as vendas, gerando emprego e renda.
Os produtos que possuem maior intenção de compra para este ano segue o perfil já consolidado pelo evento: aqueles de maior valor agregado e de desejo. O destaque fica por conta dos produtos abaixo, segundo pesquisa realizada no site: www.blackfriday.com.br:
•Smartphones (37%)
•Eletrodomésticos (36%)
•Televisores (29%)
•Informática (24%)
•Móveis e Decoração (22%)

Atenção aos seus direitos!

Caso seja de interesse do consumidor adquirir produtos na Black Friday, além de analisar a questão dos preços praticados nos últimos meses, deverá atentar-se aos seus direitos caso algum produto não tenha atendido às suas expectativas.

Neste caso, o direito de arrependimento é um ótimo aliado do consumidor, disposto no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Ele estabelece que o adquirente tem 7 dias contados a partir do recebimento do produto para desistir da compra e requerer a devolução do valor efetivamente pago. Entretanto, cabe ressaltar que tal direito só será aplicável caso a compra ocorra fora do estabelecimento comercial, ou seja, em compras realizadas pela internet, catálogos, telefone, etc.

Nas compras realizadas presencialmente, apesar de não ter direito ao arrependimento, o consumidor terá direito à troca do produto caso haja constatação de defeito dentro da garantia legal de 90 dias para bens duráveis. Diante disso, o vendedor deverá repará-lo em 30 dias. Não o fazendo, o consumidor poderá optar pela substituição do produto, a restituição da quantia paga ou o abatimento proporcional do preço.

É necessário esclarecer que a troca sem defeito no produto trata-se de mera liberalidade do lojista, como forma de cativar e fidelizar seus clientes, não sendo eles obrigados a realizá-la.

Além disso, para se prevenir, os consumidores deverão ficar bem atentos aos anúncios suspeitos que fujam do razoável, com ofertas extremamente tentadoras, evitando assim, serem vítimas de fraudes e acabarem sofrendo os prejuízos com eventuais propagandas enganosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *