sábado, agosto 24

Financeiramente mal e politicamente apaixonados

Não é possível assistir as sabatinas do Ministro da Economia Paulo Guedes no Senado Federal e na Câmara dos Deputados sem concordar que financeiramente vamos mal e politicamente continuamos cegamente apaixonados.

Num esforço hercúleo para apresentar a necessidade de aprovar uma reforma que seja o primeiro passo em um redesenho fiscal das contas públicas do país, Guedes enfrentou aquilo que vem sendo a tônica do Brasil nos últimos anos: demagogia e hipocrisia política.

Resultado: não importa o conteúdo da fala do ministro e nem dos próprios deputados; somente importam as siglas partidárias que aquele que está defendendo uma tese carrega, se for pró-bolsonaro quem for oposição ao Presidente é contra cegamente, já caso quem esteja falando seja anti-bolsonaro, quem for a favor do Presidente é automaticamente contra.

Assim, nesse desvio de debate, que deveria ser com uma base constitucional e econômica, para um outro que é polarizado em petismo e Bolsonaro, e em conceitos distorcidos de esquerda e direita, é ilusão imaginar qualquer busca por uma solução racional.

Para exemplificar, é como se um estádio de futebol começasse a ruir e estivesse com a arquibancada lotada, em que houvesse 50% de uma torcida de um lado e na outra metade a torcida rival. Ao invés de todos se unirem para buscar uma solução para que o estádio não caia com todos nele, fica cada torcida apaixonadamente brigando com a outra e buscando inflar apenas o seu próprio ego; a sua própria militância.

O Ministro Paulo Guedes foi extremamente explicativo na sua exposição e se mostrou aberto a retirar pontos distorcidos da Reforma como resultado de um diálogo fraterno, ainda assim o debate dos Deputados não acompanhou o seu ritmo. Aqui, parte da culpa está na postura do nosso Presidente que, ao invés de criar um ambiente amistoso em que se possa ter condições de aprovar algum projeto, permanece no jogo de provocações, como se a eleição não tivesse acabado e o nosso grande estádio não tivesse caindo. Segue a tensão, Brasil.

Igor Prado

Coluna Sem Cerimônia em JornalDomingo.com.br
Estudante de direito na Faculdade de Direito do Sul de Minas — FDSM. Líder político jovem, ativista por uma democracia mais justa ao país l E-mail: igorpradotavaresmg@gmail.com l Redes sociais: @igorpradomg
Igor Prado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *