quinta-feira, setembro 19

Em que momento pensar em vender a empresa?

Embora muitos empresários desenvolvam seus modelos de negócios pensando na perpetuidade do negócio, ou seja, passar seu empreendimento para os filhos, netos é importante avaliar as oportunidades que rondam sua empresa. Toda organização quando atinge determinado nível de maturidade em gestão (governança) passa a ser observada por outros players e é nesse momento que bate a dúvida: vender a empresa?

Avaliando o atual cenário, mesmo diante de uma crise que assombra alguns setores, o mercado de M&A (fusões e aquisições) continua em alta. Para 2019 a expectativa é de aumento no número de transações que envolvem as modalidades de fusões, aquisições e incorporações. Mas, para aproveitar e surfar nessa onda, o caminho é complexo e envolve vários processos que devem ser respeitados de acordo com normas pré-estabelecidas de mercado (desenvolvimento da teaser, carta de intenção, acordo de confidencialidade, valluation, due diligence, validação da proposta e, por fim, assinatura de contrato).

Em alguns trabalhos que desenvolvemos, alguns fatores são fundamentais para atrair bons investidores (avaliação de cenários, desenvolvimento da teaser e valluation). Ouvindo alguns empresários percebe-se que os mais “maduros” com a ideia sabem que o auge de qualquer empreendimento é quando ele recebe ofertas de venda. Uma questão a ser discutida é que qualquer empresa chega num determinado momento que ela tem poucas alternativas, como: crescer, fechar ou ser vendida. Parece simples e ao mesmo tempo paradoxal tal decisão, principalmente quando há sentimento por parte do seu fundador.

Para crescer a empresa deve avaliar o mercado e, principalmente, o que a restringe de crescer. Aqui, vale a ressalva que em muitos casos para crescer deve-se avaliar os mercados potenciais e investir – isso tem forte reflexo no capital de giro da organização, pois quaisquer investimentos demandam de recursos financeiros e, sobretudo, de pessoas qualificadas e processos enxutos, de tal forma que se ela não o fizer pode permanecer às margens do que poderia conquistar. Outro fator é sucumbir frente a competidores mais agressivos e capitalizados, reduzindo assim o mercado de atuação.

Assim, o processo de M&A se torna uma alternativa para aquelas organizações e empresários que esperam receber algo em troca de todo o esforço empreendido durante o período de vida da empresa.

Para saber mais sobre os processos envolvidos na construção de estratégias de consolidação de mercado, nos colocamos à disposição.

Abraço a todos e bons negócios.

João Paulo Lopes

Coluna Vamos falar de gestão de empresas? em JornalDomingo.com.br
Consultor Empresarial. E-mail: joao.lopes@noussm.com
João Paulo Lopes

Últimos posts por João Paulo Lopes (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *